sábado, 14 de dezembro de 2019

Regresso às ilhas: Terceira

Quem desse lado seguiu a nossa escapadinha até ao Açores pelo instagram? Se não seguiram, nem sabem do que estou a falar, vou contar-vos tudinho aqui no blog.
Depois de conhecer São Miguel em 2017 e de me ter APAIXONADO pela ilha, literalmente, acreditem, ficou sempre uma vontade enorme de conhecer as restantes ilhas. Tinha a certeza que não me iriam desiludir e, com razão, foram mais uma incrível surpresa.
Terceira, Flores e Corvo em quatro dias. E começamos pela Terceira, que, basicamente, foi o nosso ponto de passagem, pois foi para lá o nosso voo do Porto. Estivemos, aproximadamente, 8 horas na ilha e adoramos o bocadinho que lá passámos. Tínhamos alguns pontos principais que queríamos conhecer e começamos o dia em Angra do Heroísmo, a capital histórica dos Açores, uma cidade colorida, com os "pés" no oceano e com vistas para o Monte Brasil, um antigo vulcão extinto. Como o nosso voo foi de madrugada e comer em viagens com a Ryanair não fica propriamente barato, aproveitamos para tomar o pequeno almoço na cidade num café super giro, o VerdeMaçã. Comemos umas torradas e tostas mistas em bolo lêvedo deliciosas. De estômago cheio, fomos então explorar toda esta verdura, de perder de vista.


Lagoa das Patas, o nosso primeiro spot, um daqueles lugares que nunca tinha ouvido falar , mas que nos apareceu num blog como sugestão e a prima disse logo que tinha que ser um dos pontos do nosso roteiro. Claro que por mim, tudo bem, natureza está sempre na lista, mas fui sem grandes expetativas...e que enganada que estava! O sítio é um encanto e as estradas até lá chegar são rodeadas de autênticas florestas mágicas. E lá estavam os patinhos para nos receber, como o nome da lagoa nos indica.











Claro que, viagens feitas por mim, têm que incluir chuva e esta não foi exceção. Quando nos estávamos a preparar para ir até ao miradouro da Serra do Cume, o céu ficou bem escuro e começou a chover. Adiamos a ida e, entretanto, fomos almoçar, na esperança que a coisa melhorasse e melhorou, não na perfeição, mas o suficiente para nos deixar de boca aberta com tamanha beleza.
É mesmo daquelas vistas soberbas, que nos fazem duvidar se é mesmo real. Posso dizer, com toda a certeza, que é das "varandas" mais bonitas de Portugal.









Deixamos-nos ficar ali algum tempo, a apreciar a tranquilidade e paz que toda esta envolvente nos transmite. De seguida, com mais dois pontos no mapa para riscar, tentámos uma visita ao Algar do Carvão, mas como tinha fila e o tempo já não era muito até ao próximo voo, decidimos que ficaria para o último dia, em que regressaríamos à Terceira para apanhar o voo de regresso ao Porto.
Faltava só um ponto do nosso mapa e como estávamos perto e, à partida, não haveriam filas, ainda demos um saltinho até lá. Aqui encontrámos um pequeno trilho em que podemos observar a saída de gases vulcânicos a altas temperaturas, as famosas Furnas de Enxofre da Terceira. 
Se forem com tempo de chuva, não se esqueçam de levar as galochas, porque fica tudo enlameado.






O dia não terminava por aqui, ainda tínhamos um voo para apanhar até à próxima ilha, mas isso conto-vos num próximo post... Até lá ❤