terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Por Linhares da Beira e Loriga

Passados dois anos regressamos à bela Serra da Estrela. Desde miúda que conheço a serra das nossas trips de família e agora que estou mais crescida, (re)apaixonei-me pelas paisagens incríveis do ponto mais alto de Portugal continental. Há dois anos ficamos alojados em Seia, no “Chão do Rio” e exploramos alguns cantinhos da serra, mas, claro, este ano teria que explorar (quase) tudo aquilo que não deu para conhecer nessa visita. Definitivamente, a neve não quer nada comigo, continuo sem conseguir ver neve daquela que dá para brincar, o único vislumbre é só mesmo na Torre, mas que se baseia em neve que se transformou em rocha, portanto nada de brincadeiras. E a verdade é que mesmo que a neve estivesse no ponto, o nevoeiro e o frio na Torre eram tão insuportáveis, que teríamos desistido à primeira.
Vá, mas este frio todo foi só no domingo, porque no sábado apanhámos um dia de sol espetacular, com temperaturas de Primavera, que aproveitamos para explorar Linhares da Beira, uma das 12 aldeias históricas de Portugal. O almoço serviu de pretexto para por ali passar e depois das degustações na Taberna do Alcaide, um restaurante rústico, que apesar de não ter muita oferta, estava tudo saboroso, incluindo a simpatia de quem nos recebeu, percorremos a pequena aldeia, apreciamos o seu sossego e subimos até ao castelo para admirar as vistas.
















 Como o sol e as temperaturas ainda convidavam, antes de seguir para os nossos aposentos, fizemos uma paragem em Loriga, mais propriamente na sua praia fluvial. Mesmo de Inverno nota-se a sua fama, pela quantidade de pessoas que ali aproveitava o fim da tarde em família, tal como nós. É mais um lugar verdadeiramente bonito e que merece uma visita.











E assim terminamos o nosso primeiro dia pela serra, quer dizer, não foi bem terminar, porque ainda aproveitamos tudo aquilo que o hotel tinha para nos oferecer, mas sobre isso falarei noutro post.
Até lá ❤

Sem comentários:

Enviar um comentário