sábado, 5 de maio de 2018

Sintra, a floresta mágica


Há sítios que nos encantam no primeiro olhar. Assim é Sintra, é amor à primeira vista. Já todos sabem que sou uma adepta da Natureza e o Parque e Palácio Nacional da Pena preenchem todos os meus requisitos. É absolutamente uma floresta mágica...

















As cores deste palácio que encantam. Aproveito para dizer que quem for com alguma pressa, a visita ao interior do palácio é perda de tempo, são muitos visitantes e a visita acaba por demorar demasiado. Só valeu a pena entrar pela vista desta janela para o Castelo dos Mouros.




Vale bem mais a caminhada até ao miradouro da Cruz Alta, o ponto mais alto da serra de Sintra, para nos deslumbrar-mos com uma vista privilegiada sobre o palácio.




Infelizmente ainda ficou por visitar a Quinta da Regaleira, que era um dos lugares que mais queria conhecer, mas a chuva e o frio não ajudaram nada neste fim de semana prolongado. É já que a chuva não parava aproveitamos para entrar na Casa Piriquita e deliciar-nos com um Travesseiro.

Depois da chuva dar tréguas, ainda demos um saltinho até Azenhas do Mar, uma aldeia no litoral de Sintra, plantada em arribas, que assustam só de olhar, e famosa pela sua piscina aquática, que no verão deve ser bem apetecível.





Última paragem em Sintra, no ponto mais ocidental da Europa Continental, o Cabo da Roca, descrito por Camões como o lugar "(...) onde a terra se acaba ...e o mar começa(...)". A vista é incrível, o verde que nos rodeia prende qualquer olhar.
Dali é possível observar as pedras da Ursa e Gigante.















O dia ainda não estava terminado, mas do resto falarei no próximo post.
E vocês conhecem Sintra? Apaixonaram-se como eu?

Sem comentários:

Enviar um comentário