quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Espiunca e os Passadiços

Como o próprio nome do meu blog indica, sou do norte e tenho um especial orgulho em pertencer "aos lados de cá de cima ". Seja pelas paisagens, pelas serras, por este ar puro de quem vive na aldeia... eu sei, isto existe em todo o lado, mas o que é nosso tem sempre outro encanto!
Tudo isto para vos falar de um sítio que tem um lugar especial na minha vida e nas minhas memórias.
A Espiunca, o rio da minha infância, da minha adolescência, das minhas férias, dos piqueniques e acampamentos em família. É paragem obrigatória , todos os anos, porque acreditem que é um lugar de uma beleza singular e onde o Homem quase ainda não conseguiu "chegar".










Entretanto, surgiram os Passadiços do Paiva, um percurso de 8 km, ao longo do rio Paiva, que tem como cenário a Natureza no seu estado mais puro. Águas cristalinas que correm entre rochedos e arbustos.
Por dois anos consecutivos, foram eleitos pelos World Travel Awards como o melhor projeto europeu de desenvolvimento turístico.












É um percurso absolutamente espetacular que, para quem como eu adora conciliar Natureza e uma bela caminhada, não se irá arrepender. Mas não façam como nós, que por acharmos que já era tarde e não íamos ter muito calor, não fomos muito prevenidas e a água e a comida acabaram quase a meio do percurso. Como começamos pelo lado da Espiunca, as escadas ficaram para último e então ficou um bocadinho difícil chegar lá cima. Mas chegamos e vale mesmo a pena.

Os Passadiços só vieram tirar uma coisa à minha Espiunca, a sua paz e tranquilidade. Por isso, não se esqueçam, "não deixem nada além de pegadas". ❤ 

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Gerês - entre floresta e cascatas


Depois de mais ou menos oito anos sem visitar o Gerês, 2017 foi o ano do regresso, e para compensar todos estes anos de ausência, voltei lá duas vezes. A primeira foi em Janeiro, depois do meu fim de semana na Serra da Estrela, eu e um grupo de amigas e família partimos para mais um fim de semana longe da rotina. Dois dias não dá para muita coisa, mas ainda assim fomos (re)visitar alguns pontos obrigatórios. 

Começamos pela vista deslumbrante do Miradouro da Pedra Bela.



Tão fascinada com este cenário...
Antes de escurecer ainda percorremos a Mata da Albergaria e fizemos uma visita a nossa vizinha Espanha 😉 A última paragem foi na Cascata da Portela do Homem.


É possível existir água desta cor no meio de uma serra?

No domingo começamos o dia na vila, visitamos São Bento da Porta Aberta e ainda demos um saltinho a Vilarinho das Furnas, infelizmente não foi possível ver a aldeia submersa.
No fim de almoço foi altura para uma bela experiência, a primeira vez que andei de cavalo. Bem, é assim um bocadinho assustador, mas espetacular ao mesmo tempo.


O nosso fim de semana terminou na Cascata do Arado, mais uma cascata com águas cristalinas e de uma beleza singular.







Em Agosto, voltamos mais uma vez, desta vez só em família, para umas mini férias. E não há nada melhor do que aproveitar cada lugar na companhia de quem mais amamos, no meio de muitas gargalhadas, muitas brincadeiras, muito mimo para os nossos pequeninos, muitas caipirinhas e muita cumplicidade.













Espero em breve voltar, porque ainda ficou muita coisa por explorar.